Labels

EM BANZAÊ TEM!

EM BANZAÊ TEM!

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Carnaval e show de cultura popular marcam encerramento da Rio 2016


Uma festa de encerramento como foi a Olímpiada: colorida e de alto astral. A cerimônia que marcou o fim dos Jogos Olímpicos do Rio aconteceu no domingo (21), no Maracanã, e destacou a cultura popular, entre tantas outras atrações.  Durante a cerimônia, a cidade do Rio de Janeiro passou o bastão para Tóquio, sede dos Jogos de 2020.

Assim como na abertura, canções de diversas épocas pontuaram o roteiro, que adotou o tema da diversidade como emblema. Assim, Luiz Gonzaga se misturou com Heitor Villa-Lobos. O DJ norueguês Kygo, que bateu 1 bilhão de reproduções no Spotify, conviveu sem estresse com o frevo e o xaxado da comadre Sebastiana. Lenine, Carmem Miranda e Arnaldo Antunes pareceram irmãos siameses sob esta ótica.

EM BANZAÊ TEM!

Com bem disse o presidente do COI, Thomas Bach – antes de a festa terminar em um grande desfile de escola de samba, com direito a carros alegóricos, bateria poderosa e os atletas invadindo o gramado para dançar – bye, bye, Rio. Até Tóquio. Com informações e foto: Globo Esporte.com

Brasil fecha a Olimpíada Rio 2016 com a melhor participação do país em Jogos

É prata, é prata, é bronze, Isaquias Queiroz, grande nome do Brasil na Rio 2016

O Brasil encerrou neste domingo a melhor participação na história dos Jogos Olímpicos. Com sete ouros, seis pratas e seis bronzes, 19 no total, ficou na 13ª posição no quadro de medalhas, feito inédito para o país. Ainda assim, a classificação ficou abaixo da projeção inicial do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), que esperava que o Brasil terminasse a Olimpíada Rio 2016 entre os dez primeiros. 

Pouco antes do início, o Comitê reviu a meta e disse que 12º lugar já não seria ruim. O resultado final, muito próximo do esperado, só foi possível graças a boas surpresas e medalhas inéditas para os atletas brasileiros. Apenas um dos três campeões em Londres 2012 conquistou pódio no Rio. 

EM BANZAÊ TEM!

Ouro há quatro anos, o ginasta Arthur Zanetti ficou com a prata desta vez. Sarah Menezes, no judô, e a seleção feminina de vôlei ficaram fora do pódio, essa foi uma das baixas, assim como o fato da seleção feminina de futebol não ter conquistado nenhuma medalha e ainda teve a natação que saiu zerada.

Das 19 medalhas conquistadas, três foram do baiano Isaquias Queiroz na canoagem, um feito inédito para o país numa única edição dos jogos. Fonte e Foto: Portal Rio 2016

domingo, 21 de agosto de 2016

Brasil bate Itália e fecha a Rio-2016 com mais um ouro


A seleção masculina de vôlei ganhou neste domingo da Itália por 3 sets a 0 e é medalha de ouro na Rio-2016. A torcida, que lotou o ginásio do Maracanãzinho, deu um show a parte e vibrou durante toda a partida. Em reedição da final de Atenas 2004, o Brasil buscava um tricampeonato e a Itália estava tentando seu primeiro título olímpico. E no final do jogo, os jogadores brasileiros escutaram os gritos de “o campeão voltou” das arquibancadas.
Até chegar à final, o Brasil disputou sete partidas e venceu cinco delas, contra México, Canadá, França, Argentina e Rússia. As duas derrotas da Seleção aconteceram ainda na fase de grupos, diante dos Estados Unidos e da Itália, adversária da decisão. Já os italianos chegaram à final com uma campanha melhor, perdendo apenas uma partida, também na fase de grupos. Os europeus foram derrotados pelo Canadá, mas já tinham a classificação às quartas de final assegurada.
Apesar de certa inconstância, uma coisa pode se dizer que foi regular na campanha brasileira: a atuação de Wallace. O oposto da Seleção foi essencial em momentos importantes da competição, contribuindo com pontos decisivos para a equipe. Aliás, o camisa 4 foi o maior pontuador das Olimpíadas. O vice-líder foi o italiano Ivan Zaytsev, adversário desta tarde.

EM BANZAÊ TEM!

Apoiado pela torcida, o Brasil repetiu o feito conquistado em Atenas-2004. Na decisão, a equipe verde e amarela derrotou os italianos por 3 sets a 1 e conquistou o segundo ouro do time na história — o primeiro foi em Barcelona-1992. Já a Itália consegue sua segunda prata. Além disso, a equipe possui três bronzes, conquistados em Los Angeles-1984, Sydney-2000 e Londres-2012.
Além de toda a história olímpica das duas seleções, o confronto também marcou o embate dos dois maiores vencedores da história da Liga Mundial. O Brasil é o maior campeão, com nove títulos, seguido pela Itália, com oito.
Medalha de bronze — Os Estados Unidos venceram a Rússia por 3 sets a 2 neste domingo e ficaram com a medalha de bronze no vôlei masculino dos Jogos do Rio-2016. Os americanos liderados por Matthew Anderson marcaram parciais de 23-25, 21-25, 25-19, 25-19 e 15-13, deixando o campeão olímpico de Londres-2012 com as mãos vazias. Fonte: Cidade Verde e Foto: Portal Terra

sábado, 20 de agosto de 2016

Rio 2016: Brasil vence a Alemanha e conquista ouro inédito no futebol masculino


Acabou a espera! Com direito à prorrogação e pênaltis, a Seleção Brasileira superou a Alemanha e ficou com a inédita medalha de ouro olímpica no futebol masculino. Após empate em 1 a 1 no tempo regulamentar e na prorrogação, a decisão foi para os pênaltis e o time canarinho, contando com a grande defesa do goleiro Weverton na última cobrança dos adversários e gol de Neymar em seguida, venceu por 5 a 4. Com a conquista da única competição que ainda não tinha, a "Terra adorada", que "Entre outras mil, És tu, Brasil, Ó pátria amada", pode ser chamada também de terra dourada. Com o apoio de toda esta "gente bronzeada" na arquibancada do Maracanã, a garotada brasileira conseguiu "mostrar o seu valor" na Rio 2016 e subiu ao lugar mais alto do pódio na noite deste sábado (20). 



Nas penalidades, o Brasil deu um show de preparo técnico e psicológico, acertando todas as cinco cobranças, e, com a estrela do goleiro Weverton, que defendeu a última cobrança dos alemães, brilhando, venceu por 5 a 4 com Neymar encerrando os arremates com gol. 

Na comemoração do gol no tempo normal, Neymar homenageou o velocista Usain Bolt da Jamaica, tricampeão em tudo no atletismo, Bolt assistia o jogo torcendo pra Seleção

Com essa conquista, a recheada galeria de glórias da Seleção Brasileira fica com ainda mais brilho. A Amarelinha, que também recebe um tom de dourado, passa a representar o futebol pentacampeão mundial e, agora, também olímpico. 

EM BANZAÊ TEM!

Brasil: Weverton; Zeca, Rodrigo Caio, Marquinhos e Douglas Santos; Walace e Renato Augusto; Luan, Gabriel (Felipe Anderson), Gabriel Jesus (Rafinha), o craque Neymar, autor do gol no tempo normal, considerado o grande nome desta seleção olímpica, o técnico Rogério Micale e os demais. Fotos: CBF

Rio 2016: Mineiro Maicon Andrade brilha no Rio e Brasil conquista medalha de bronze no taekwondo



Apenas o 51.º colocado do ranking mundial do taekwondo, Maicon Andrede Siqueira levantou o Arena Carioca 3 e, numa campanha de três vitórias, recebeu o bronze na categoria para atletas de mais de 80kg. Na luta que valeu o pódio, ele venceu o britânico Mahama Cho, de virada, por 5 a 4, depois de entrar no último round perdendo de 3 a 1 A medalha é a 18.ª do Brasil, que ainda vai ganhar mais uma no vôlei masculino.

EM BANZAÊ TEM!

Até o inesperado pódio olímpico, Maicon nunca esteve sequer entre os principais lutadores do país. No ranking nacional, é apenas o quarto da categoria até 87kg, que é fundida com a subdivisão para atletas de 80kg a 87kg no programa olímpico. E, fosse por qualidade técnica, o Brasil nem teria representantes nessa categoria no Rio-2016.

O caminho para que ele chegasse ao Rio-2016 começou por uma proposta ainda mal explicada da Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD), que escancarou as portas para que Anderson Silva, o Spider, lutador de MMA, defendesse o Brasil na modalidade na Olimpíada. Fonte e Foto: Super Esportes

Rio 2016: Ao lado de Erlon, Isaquias leva a prata e se consagra nas águas da Lagoa


Você já presenciou o nascimento de um mito? Como precisar o exato momento em que uma pessoa cruza uma linha e muda de status? O instante em que anos de esforço, dedicação e sacrifício transformam um atleta de ponta em um herói olímpico? Isaquias Queiroz pode responder melhor do que ninguém. Eram 9h25 de 21 de agosto de 2016, um sábado, quando ele e o companheiro Erlon de Souza fecharam em segundo lugar o C2 1000m na final olímpica da Rio 2016. As águas da Lagoa Rodrigues serviam, naquele momento, de batismo para um mito do esporte nacional: Isaquias se transformava no único brasileiro a conseguir três medalhas numa única edição dos Jogos Olímpicos. A prata se juntava à outra já conquistada no C1 1000m e ao bronze no C1 200m. Para a torcida brasileira, pouco importava que o alemão Sebastian Brendel, agora com a ajuda de Jan Vandrey, ficasse novamente com o ouro - ele já havia sido a pedra no caminho do brasileiro no C1 1000m, prova que também venceu. A Ucrânia, de Ianchuck e Mishchuk, ficou em terceiro.


EM BANZAÊ TEM!

O feito de Isaquias não se restringe ao Brasil. Ele também se transformava no único atleta a ganhar três medalhas na canoa numa única edição dos Jogos - outros atletas conseguiram três medalhas, mas em provas de canoa e caiaque.
Isaquias sonhava com o ouro, mas a prata não causou decepção. Nem nele nem no público, que apoiou com entusiasmo a dupla brasileira do início ao fim. O mais novo mito do esporte vibrou com seu feito e agradeceu à torcida. Fonte e Foto: Globo Esporte.com

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Banzaê: Impugnação e anulação de Convenção

EM BANZAÊ TEM!

A Coligação Banzaê Quer Mudança entrou, na Justiça Eleitoral da 110º Zona, através do seu advogado Paulo Brito, na sexta-feira, 19 de agosto 2016, ás 17 horas e 33 minutos, com duas Ações de Impugnação ao Registro de Candidaturas a vereador conta Adriano de Souza (Adriano da Queimada); atualmente presidente do Poder Legislativo; Manoel Cristovam Batista (Manoel Cacique); sendo que Rogério Dantas da Silva, candidato a vereador, mais a Coligação Banzaê Quer Mudança, na quinta-feira, 18 de agosto 2016, entraram com uma terceira, desta vez com Ação Declaratória de Nulidade de Ato Com Pedido de Tutela de Urgência contra o Partido Socialista Brasileiro (PSB), pela realização de duas convenções no município, sendo uma com comissão provisoria ligada a oposição e a segunda com comissão provisoria ligada a situação. Por Joilson Costa, Rádio Pombal FM.

Rio 2016: Bruno e Alison batem italianos e levam o ouro no Vôlei de Praia masculino


Assim que foram apresentados pelo locutor em quadra, Alison Cerutti e Bruno Schmidt levantaram a galera. O Mamute abriu os braços e pediu apoio. O público foi ao delírio e correspondeu. Parecia um estádio de futebol. Parecia um caldeirão. E nem a chuva que caía forte na Arena de Vôlei de Praia, em Copacabana, no início da madrugada desta sexta-feira, foi suficiente para esfriar o calor e a energia que emanavam dos donos da da casa na decisão contra os italianos Nicolai e Lupo. E foi nesse clima que o Brasil ganhou mais dois novos campeões olímpicos. Com o placar de 2 a 0, parciais de 21/19 e 21/17, na raça e no coração, o capixaba e o brasiliense garantiram a medalha de ouro nas areias de Copacabana. Podem soltar o grito de "É campeão!", podem bater no peito, podem comemorar muito.

EM BANZAÊ TEM!

Trata-se da segunda medalha de ouro olímpica do Brasil no vôlei de praia masculino. A primeira foi há 12 anos, quando Ricardo e Emanuel venceram Javier Bosman e Pablo Herrera, da Espanha, em Atenas 2004. Foi justamente com Emanuel que Alison teve a sua primeira participação olímpica. A parceria vitoriosa durou quatro anos. Quando Mamute, o gigante de 2,03m, resolveu se separar do campeão da edição grega dos Jogos, passou então a jogar com Bruno logo na sequência, foi a primeira vez de Bruno numa Olimpíada e jogando em casa conquistou a medalha dourada. Fonte e Foto: Globo Esporte.com

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Rio 2016: Martine e Kahena conquistam o ouro na vela


Não há nada como a casa da gente. Aquele lugar que você conhece cada cantinho, cada atalho, cada detalhe. Imagine então disputar uma edição dos Jogos Olímpicos no seu quintal? E ganhar a medalha de ouro no lugar que você ama? Foi isso que Martine Grael e Kahena Kunze conseguiram na tarde desta quinta-feira. Na Baía de Guanabara, onde começaram a velejar juntas, a dupla brasileira venceu a regata da medalha da classe 49erFX e se tornou campeã olímpica. Com a família e os amigos na areia, fizeram uma regata da medalha que beirou a perfeição: teve emoção, estratégia e ultrapassagem no final. Aos pés do Pão de Açúcar, as meninas de ouro do Brasil mostraram que ali quem manda são elas.

EM BANZAÊ TEM!

Em uma categoria marcada pelo equilíbrio, com quatro duplas chegando à decisão com chance de título, Martine e Kahena fizeram valer o fator casa. Depois de vencerem os dois eventos-teste que foram realizados na Baía, em 2014 e 2015, chegaram ao dia decisivo empatadas com os barcos da Dinamarca e Espanha. e um ponto à frente das neozelandesas. E a vitória do ouro, disputada na raia do Pão de Açúcar, veio por uma diferença de apenas dois segundos. Na classificação final, 48 pontos perdidos. A prata ficou com a dupla da Nova Zelândia, Alex Maloney e Molly Meech, que perderam 51 pontos, e o bronze para as dinamarquesas Jena Hansen e Katja Steen Salskov-Iversen, 54. Para celebrar? Mergulho coletivo nas águas criticadas e que geraram apreensão durante todo o ciclo olímpico. A família que estava na praia não se conteve e nadou em direção ao barco campeão. Fonte e Foto: Globo Esporte.com

Índios Kiriris nas Olimpíadas 2016

EM BANZAÊ TEM!

Na tarde de terça, 16 de agosto 2016, índios Kiriris, da Aldeia Marcação, localizada no município de Banzaê, Território de Identidade Semiárido Nordeste II, desembarcaram no Rio de Janeiro para participar das Olimpíadas Rio 2016. O convite para o evento foi uma iniciativa da Secretaria Executiva do Conselho Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais, do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, responsável pela organização da feira. 

Os índios vão comercializar produtos derivados de mandioca e artesanatos típicos, a exemplo de colares, arcos, flechas, maracas e brincos. O presidente da Associação Comunitária Indígena Kiriri Santo André de Marcação (Aciksam), Reinaldo Mendes, conta que o convite foi inusitado. “Para nós foi uma surpresa porque a gente não esperava participar de um evento tão importante para o Brasil e o mundo. Vamos apresentar o povo Kiriri ao mundo”.

Os produtos Kiriris são processados na Unidade de Beneficiamento de Mandioca e Fábrica de Biscoitos, localizada na Aldeia Marcação, a 30 quilômetros da sede do município de Banzaê. A unidade implantada pelo Governo da Bahia, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), teve investimento de R$ 4,4 milhões, recursos estaduais e provenientes de acordo de empréstimo com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida). A agroindústria tem capacidade para processar cinco toneladas/dia de raízes, com produção anual de 150 toneladas de farinha, 24 de fécula e dez de biscoitos.  Fonte: SECOM

Rio 2016: Baiano Isaquias conquista nova medalha na canoagem, desta vez foi bronze


Isaquias Queiroz já estava eternizado na história da canoagem velocidade ao, conquistar na terça-feira, uma prata no C1 1000m, primeira medalha brasileira nessa modalidade em Jogos Olímpicos. Mas ele sabia que podia mais. Nesta quinta, ele pode bater com força no peito e dizer que, aos 22 anos, já tem mais uma para sua coleção. 

EM BANZAÊ TEM!

Nessa categoria, diferentemente da primeira da qual participou na Olimpíada do Rio 2016, a tensão tomou conta de quem esteve no Estádio da Lagoa Rodrigo de Freitas. Depois de uma largada ruim, o atleta baiano chegou a figurar na última posição, mas conseguiu se recuperar à base da resistência. Não bastasse isso, ele ainda foi parar dentro d'água no finzinho, depois de projetar o corpo para trás para ganhar o máximo de tempo na chegada. O suspense pairou no ar para saber se a queda aconteceu antes ou após a linha de chegada. Isaquias demorou a aparecer na superfície. Os olhares da torcida se fixaram no telão. O resultado demorou a sair, deixando o público com o grito preso na garganta. Mas a confirmação do bronze na decisão do C1 200m deixou os presentes em êxtase. Fonte e Foto: Globo Esporte.com

Rio 2016: Dupla Ágatha e Bárbara perde pra dupla alemã e fica com a prata no Vôlei de Praia Feminino


As vibrantes Ágatha e Bárbara Seixas que, na semifinal, bateram a tricampeã olímpica dos EUA e sua parceira medalhista de prata em Londres 2012 em um jogaço, sentiram na pele a fúria das europeias nesta quarta-feira, nas areias de Copacabana, na final das disputas do vôlei de praia. 

EM BANZAÊ TEM!

Elas pararam no paredão de Kira e na técnica impecável de Laura, que venceram por 2 a 0, parciais de 21/18 e 21/14, asseguraram o ouro e deixaram o Brasil com a medalha de prata. Fonte e Foto: Globo Esporte.com

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Rio 2016: Alemanha vence Nigéria e enfrenta Brasil na decisão masculina

EM BANZAÊ TEM!

A Alemanha será a adversária do Brasil na decisão do futebol masculino na Olimpíada 2016. Os atuais campeões do mundo venceram a Nigéria por 2 a 0, nesta quarta-feira, no Itaquerão, e avançaram à final do próximo sábado. Será a chance de um país "unificar" o título da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos pela primeira vez desde 1936 — fato só conquistado duas vezes, por Uruguai e Itália, até hoje.
Assim como para o Brasil, a conquista do ouro olímpico é inédita para a Alemanha como nação unificada. Na época em que o país esteve dividido, entre 1948 e 1990, a Alemanha Oriental foi campeã nos Jogos de Montreal, em 1976, enquanto a Alemanha Ocidental tem dois bronzes (1964 e 1988).
A final olímpica, no Maracanã, está marcada para as 17h30min de domingo. Mais cedo, às 13h, Honduras x Nigéria decidem o bronze no Mineirão. Fonte: Globo Esporte.com

Rio 2016: Explode coração, Brasil lutará por ouro no futebol masculino


Não houve luta do rochedo com o mar. Um gol de Neymar aos 14 segundos de jogo abriu caminho para a seleção olímpica golear Honduras por 6 a 0 e fazer os corações dos torcedores brasileiros explodirem de felicidade  nesta quarta-feira no Maracanã, que recebeu 52.457 pessoas. O camisa 10 foi o dono da festa, o rei no meio de uma gente tão modesta. Comandou o triunfo que garantiu ao Brasil mais uma medalha nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. No próximo sábado, acontecerá a decisão do ouro. Como será o amanhã? Responda quem puder, mas sonhar não custa nada, e o sonho do título inédito nunca foi tão real. 

Não teve tempo para o forte calor atrapalhar, nem para haver qualquer tipo de ansiedade. Na saída de bola, Neymar apertou a marcação, dividiu com o goleiro López e abriu o placar. Não comemorou, por sentir dores no peito. Este foi o único susto da seleção olímpica nesta quarta-feira. Recuperado, o camisa 10 brilhou: respondeu as muitas faltas que sofreu com dribles e passes – um deles para Gabriel Jesus marcar um de seus dois gols, o outro foi cortesia de Luan.

Com a vantagem do 3 a 0, a seleção voltou para o segundo tempo mais preocupada em fazer o tempo passar e dosar energia para a final. Ainda assim, fez mais dois gols, com Marquinhos e Luan. O restante do tempo foi gasto em jogadas de maior refino técnico, para delírio da torcida, que se dedicou a criar novas músicas, provocar a Alemanha e se divertir na arquibancada. No fim, lance emblemático: todos parados, com celulares a postos para registrar o gol de pênalti de Neymar que definiu o placar. 


EM BANZAÊ TEM!

Decisão

A disputa da medalha de ouro acontece no próximo sábado, às 17h30 (de Brasília), também no Maracanã. O adversário do Brasil sai ainda nesta quarta: Alemanha e Nigéria se enfrentam às 16h, na Arena Corinthians. Os brasileiros já escolheram o rival preferido: ao longo da partida, gritaram: “Ô, Alemanha, pode esperar, a sua hora vai chegar!”. Fonte e Foto: Globo Esporte.com

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Rio 2016: Ouro inédito! Baiano Robson bate francês e conquista título histórico no boxe


Robson Conceição não tinha sonhos grandes. Invocado, queria ser que nem o tio, famoso por brigar na rua. Virou o “Terror” do bairro humilde onde nasceu, em Salvador. Ao descobrir o boxe, trocou os socos nas ruas pelos ringues e viu que poderia sonhar. Para alcançá-los, ralou. Foi feirante, vendeu picolé na praia, foi ajudante de pedreiro… Na insistência e no talento, virou campeão olímpico. Com o Pavilhão 6 do Riocentro pulsando derrotou o francês Sofiane Oumiha por decisão unânime, com 3 a 0 (30-27, 29-28 e 29-28) na noite desta terça-feira. Colocou seu nome na história do boxe brasileiro ao conquistar a primeira medalha de ouro da modalidade nos Jogos. Hoje, é o orgulho de Boa Vista. Orgulho de Salvador. Orgulho da Bahia. Orgulho do Brasil.

- Até agora, estou vivendo um sonho. Não quero acordar nunca. Agradeço ao povo brasileiro pelo apoio. Os que estão aqui e na Bahia. Graças a eles e a Deus, sou campeão olímpico - disse o lutador. 

EM BANZAÊ TEM!

Para alcançar o maior resultado do país na nobre arte em Olimpíadas, Robson batalhou. Tanto em Pequim, 2008, quanto em Londres, 2012, perdeu na primeira luta. Aprendeu com os tropeços e esbanjou serenidade no Rio. Convenhamos, não deve ser fácil disputar uma competição deste porte. Imagine uma final olímpica. Mas este baiano, cada vez que entrava no ringue, impressionava pela serenidade. O ringue, na verdade, virou o quintal de sua casa, como o que utilizou para aprender os primeiros socos com seu primo, ainda na infância. Fonte e Foto: Globo Esporte.com

Rio 2016: Baiano Isaquias Queiroz garante prata para o Brasil na canoagem de velocidade


O brasileiro Isaquias Queiroz garantiu a prata para o Brasil na canoagem de velocidade na categoria canoa individual 1.000m, ao cruzar a linha de chegada em 3min58s529. Ele ficou cerca de dois segundos atrás do alemão Sebastian Brendel, que ficou com o ouro. O bronze ficou com Serghei Tarnovschi, da Repúplica da Moldova. 

Isaquias e o alemão disputaram a liderança da prova durante todo o percurso, mas Brendel abriu distância nos metros finais e garantiu a vitória. 

EM BANZAÊ TEM!

No pódio, o baiano de Ubaitaba não conseguiu conter o choro e foi fortemente aplaudido pela torcida. "É gratificante, mas vem mais por aí. Estou focado nas próximas provas", disse Isaquias, que representa o Brasil nestes Jogos em mais duas modalidades na canoagem de velocidade: a canoa individual de 200m, com provas na quarta e quinta-feiras, e a canoa dupla de 1.000m, na sexta e no sábado. Fonte e Foto: Globo Esporte.com

Rio 2016: Brasil perde para a Suécia nos pênaltis e vai disputar o bronze no futebol feminino na Olimpíada

EM BANZAÊ TEM!

Brasil lutou, atacou, pressionou, mas ainda assim perdeu para a Suécia nos pênaltis na semifinal do futebol feminino na Olimpíada Rio 2016. A seleção brasileira havia vencido as suecas por 5 a 1 na fase de grupos, mas desta vez a história foi diferente. Depois de eliminar a Austrália nos pênaltis nas quartas de final, a seleção brasileira parou na atuação espetacular da goleira sueca Lindahl e na retranca da equipe europeia, que se recusou a jogar. Passou os 90 minutos do tempo normal e os 30 da prorrogação na defesa, com raras chegadas ao ataque em contra-ataques. O Brasil agora espera o perdedor de Canadá x Alemanha para saber quem será o adversário na disputa da medalha de bronze, na sexta-feira.

Rio 2016: Thiago Braz ganha a medalha de ouro no salto com vara do atletismo


O brasileiro Thiago Braz fez história e conquistou a medalha de ouro no salto com vara dos Jogos Olímpicos. Na final desta segunda-feira (15), o atleta de 22 anos superou o recordista mundial e campeão olímpico de Londres-2012, o francês Renaud Lavillenie.
EM BANZAÊ TEM!

Thiago saltou 6,03 m em sua segunda tentativa, superando sua melhor marca da carreira, que era de 5,93, e quebrando o recorde olímpico que Lavillenie havia estabelecido minutos antes, de 5,98 m. O francês não conseguiu saltar 6,08 m em sua última chance e ficou com a prata.
Agradeço muito a Deus por tudo, por esse momento. É uma oportunidade incrível. As pessoas acreditaram em mim, estavam do meu lado me apoiando. Poder completar uma prova com recorde pessoal e recorde olímpico, ganhando medalha de ouro... É inexplicável - comemorou. Informações e Foto: Globo Esporte.com