Labels

sábado, 4 de julho de 2015

Chile vence nos pênaltis, garante primeiro título e mantém Argentina no jejum

Chilenos levantam a inédita taça no Estádio Nacional, é campeão (Foto: Jornal Metro)

Os chilenos choraram de novo, sim, mas dessa vez de alegria pela libertação. Diante de 45.693 espectadores no Estádio Nacional de Santiago, palco de opressão durante a ditadura militar dos anos 70 e 80, ganharam da Argentina, vejam só, na disputa de penalidades máximas por 4 a 1, após 0 a 0 em 120 minutos na noite deste sábado. Uma cavadinha de Alexis Sánchez, depois de erro de Higuaín e defesa de Bravo no chute de Banega, deu início à comemoração. La Roja se livra do estigma de seleção sem títulos e garante a festa completa na Copa América organizada em casa. Messi? Muito bem marcado, pouco fez e precisará esperar mais um pouco para levantar um troféu como campeão pela seleção principal. É sua terceira derrota seguida numa final com a Albiceleste depois da decepção na prorrogação contra a Alemanha no Mundial de 2014 e no torneio sul-americano de 2007.

Torcida chilena faz a festa no Estádio Nacional (Foto: Globo Esporte.com)

Com 40 mil bandeiras doadas por um milionário do país, os chilenos fizeram a sexta e última festa no Estádio Nacional de Santiago. É bem verdade que dessa vez a rivalidade falou mais alto e o hino do adversário não foi tão respeitado como nas outras partidas, assim como tinham bem mais torcedores adversários espalhados pelas arquibancadas. Antes da prorrogação e da disputa de pênaltis, cantaram forte o hino para dar força aos extenuados jogadores.

Chilenos saem pra comemorar o título inédito (Foto: Globo Esporte.com)

Com o título, o Chile confirmou presença na Copa das Confederações da FIFA a ser disputada em 2017 na Rússia e além dos chilenos e dos russos, quem também já está garantida na competição é a Alemanha, campeã da Copa do Mundo do ano passado. Com informações do Globo Esporte.com 

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Peru bate Paraguai e fica novamente como terceiro melhor da América

 Foto: Portal oficial da competição

Com gols de Paolo Guerrero e Carrillo, o Peru venceu por 2 a 0 o Paraguai, em Concepción, e assegurou pela segunda edição de Copa América consecutiva o terceiro posto do torneio continental. 

Os mais de 29 mil torcedores que compareceram ao Ester Roa foram os principais destaques da decisão do terceiro lugar. Eles cantaram o tempo todo, fizeram “ola”, gritaram mensagens de apoio a entoaram o hino nacional do Chile. Pareciam empurrar a seleção local, que neste sábado vai enfrentar a Argentina, em Santiago, na decisão da Copa América.

Pela segunda vez consecutiva, Guerrero termina a competição como um dos artilheiros (Foto: Globo Esporte.com)

Com o gol nesta sexta-feira, Guerrero se igualou a Eduardo Vargas, do Chile, na artilharia da Copa América, com quatro gols. Caso seja confirmado com um dos goleadores, o peruano vai quebrar uma marca de 91 anos. A última vez que um atacante foi o maior marcador em duas edições consecutivas do torneio foi em 1923 e 1924. O dono da façanha é o uruguaio Petrone. Fonte: Globo Esporte.com