Labels

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Salvador recebe último evento em comemoração aos 10 anos do PT no Governo


Com auditório do Bahia Othon Palace em Salvador lotado, a militância petista e de partidos aliados participaram no último evento em comemoração aos 10 anos do PT no Governo Federal que contou com a presença da presidente Dilma Rousseff, do ex. presidente Lula, do governador Jaques Wagner, do senador Walter Pinheiro, dos deputados federais, estaduais, secretários de estado, vereadores da capital e prefeitos da Bahia e de aliados como a senador Lídice da Mata (PSB), vice-governador Otto Alencar (PSD), deputado federal Daniel Almeida (PCdoB), deputado federal Mário Negromonte (PP), deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo (PDT), vereador de Salvador, Edvaldo Brito (PTB) e demais lideranças.


O ex-presidente se disse orgulhoso por ter, em seu primeiro mandato, cumprido tudo o que planejou para o período entre 2003 e 2006, mas se desculpou por não ter feito tudo o que desejava. O político ponderou que dez anos de governo é “muito pouco” e pediu que a militância se prepare para o debate. “Querem fazer o Brasil esquecer os nossos 10 anos”, opinou, ao argumentar que após a última década o brasileiro “já pode andar de cabeça erguida no mundo”. “O PT ousou dizer que o Brasil é soberano, mas também não é melhor do que ninguém. Antes, os outros países da América Latina olhavam o Brasil como adversário e o Brasil olhava para a África com desprezo. Nós conquistamos a confiança dos países”, avaliou. “O governo desses 10 anos tenta consertar os 20 anos anteriores”, completou. 

Governador descarta cortar secretarias: 'É preciso saber o que cada uma representa'O governador Jaques Wagner falou sobre o tema escolhido para o evento e disse que o partido nasceu nas ruas “de sempre”. “A rua sempre existiu. Contra a opressão da ditadura militar, pela democracia, nos quilombos, contra a escravidão. Pela natureza do projeto político capitaneado pelo PT, temos que brindar os 10 anos com a rua. Ouvindo a rua para planejar mais 10, 20, 30 anos”, pontuou, ao lembrar a importância de revisitar o caminho percorrido pelo partido, em que aplausos vêm acompanhados de críticas. “Não devemos ter vergonha dos nossos erros. Muitas vezes erramos querendo acertar. Que venha a rua, que ela vai encontrar um caminho”, completou. “Antes, era ‘manda quem pode e obedece quem tem juízo’. Hoje, organiza quem pode e participa quem quer mudar”, comparou.

PT 10 anos: Dilma volta a defender mudança ‘urgente’ no sistema político do país O tema do evento também foi abordado pela presidente Dilma. "A escolha [do assunto] prova que, para o governo, o diálogo com os movimentos sociais é fundamental. Nestes dez anos, fizemos 87 conferências, sendo 27 no meu mandato", informou. "Perguntaram a um ribeirinho para que serve uma conferência e ele disse: 'Para conferir se está tudo nos conformes'", contou. "Isso explica a força dos movimentos. São eles que abrem a boca e avisam: 'Olhe, não está nos conformes'. E muitas realizações do PT nasceram de reivindicações", completou, ao listar como exemplos a criação de novas universidades, as cotas e a chamada Lei das Domésticas. A presidente propôs à militância um "pacto para a verdade" e pediu aos petistas que "não permitam que a manipulação se imponha e que o pessimismo domine". Dilma terminou sua fala lembrando de Castro Alves e fechou o evento em uma referência ao poeta. "Enquanto honrarmos nossa história e escutarmos as vozes das praças, voaremos mais alto."  Fonte e Fotos: PT Bahia

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!