Labels

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

TSE rejeita criação do partido Rede Sustentabilidade de Marina Silva

Ex. ministra Maria Silva (Foto: Portal Rede)



A maioria dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou na noite desta quinta-feira o registro do partido Rede Sustentabilidade, que a ex-senadora Marina Silva pretendia criar para disputar as aleições de 2014. A análise acontece dois dias antes do prazo final para a criação de partidos e do esperado "troca-troca" de legendas.

Dos sete ministros que formam o colegiado, seis se posicionaram contra a rede: Laurita Vaz, relatora do caso; João Otávio de Noronha, Henrique Neves, Luciana Lóssio e Marco Aurélio Mello e Cármen Lúcia. O único a votar a favor da criação da sigla foi Gilmar Mendes.

Nesta sessão, os ministros avaliaram se a Rede seria liberada para participar das eleições no ano que vem, ou se teria que juntar novas assinaturas de apoio, validadas pelos cartórios eleitorais. Na terça-feira, o Ministério Público Eleitoral se posicionou contra a criação da Rede Sustentabilidade.

Em parecer enviado ao Tribunal, o MP declarou que o partido de Marina conseguiu 442 mil assinaturas de apoio, enquanto a lei exige, no mínimo, 492 mil. No entanto, a segunda colocada nas pesquisas presidenciais afirmou que conseguiu outras 95 mil assinaturas, que foram rejeitadas pelos cartórios. E, com isso, teria mais do que o mínimo necessário.

O tribunal rejeitou o argumento e deu mais prazo para que as assinaturas sejam certificadas pelos cartórios eleitorais e juntadas ao processo. Porém, a Rede Sustentabilidade não terá mais condições de concorrer nas eleições do próximo ano.

Para concorrer nas eleições do próximo ano Marina vai precisar se filiar em algum partido político até o próximo sábado (05), último dia para quem quer disputar algum cargo público nas Eleições 2014.

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!