Labels

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Ala do DEM Bahia quer partido 'na cabeça da chapa

Ala do DEM quer partido 'na cabeça da chapa'; Aleluia tenta se viabilizar e Souto diz não
Aleluia e Bruno Alves
Desde a última semana, apesar de alguns líderes do Democratas negarem, o partido tem mudado o discurso. Até pouco tempo, a primeira frase dita pelos políticos do partido era: “trabalhamos pela união das oposições”. Mas, a cada dia que passa, o tom é um pouco alterado. Sem deixar de lado a tentativa de formar a aliança, alguns integrantes do DEM passaram a dizer publicamente que querem a “cabeça da chapa em 2014”, ou seja, indicar o candidato a governador. São três opções: o secretário de Urbanismo e Transporte de Salvador, José Carlos Aleluia; o ex-governador Paulo Souto; e o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo. A última movimentação neste sentido foi feita pelo presidente da Juventude do Democratas na Bahia, Bruno Alves. Em entrevista ao Bahia Notícias, ele disse que a legenda “tem os melhores nomes” e que “o povo do interior tem uma preferência pelo DEM”, apesar de não deixar de elogiar os concorrentes/aliados: o presidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima, e o ex-prefeito de Mata de São João, João Gualberto (PSDB). “Geddel é um político preparado, assim como Gualberto, mas no momento a população está chamando o Democratas”, resumiu. Alves pontuou que o grupo tem postura própria e independente do restante do partido. Aleluia confirmou, ao chamar a ala democrata de “entusiasmada”, mas ressaltou que o cenário político atual levou às declarações de alguns correligionários. “Nós passamos a reivindicar no momento em que os outros passaram a reivindicar, se não estaríamos abdicando”, argumentou o secretário. Sobre o desejo de Geddel de indicar o nome do candidato da oposição até 15 de dezembro, Aleluia foi contrário. “Não temos necessidade de atrelar o nosso cronograma ao do governo”, afirmou. 
 
O calendário mais longo também é defendido pelo presidente da Juventude do DEM, que brincou ao colocar a sigla como “noiva” da oposição. “Nesse casamento, a noiva é o nosso partido e vamos entrar no último momento. Não adianta pressa para decidir candidato agora. Temos que esperar o padre entrar, o noivo, e quando todos estiveram esperando, nós entramos”, completou. O nome da oposição será discutido novamente durante uma reunião do grupo, que deve acontecer até o dia 15 de novembro. No DEM, Aleluia não esconde o desejo de ser o escolhido, enquanto José Ronaldo corre por fora e Paulo Souto já deixou claro que hoje  não quer ser candidato. “Souto realmente tem dito que não está disposto. No momento ele não quer, mas o assunto não foi resolvido. Eu me considero livre, desimpedido e muito interessado”, disse o secretário.
 
O ex-governador ainda se nega a falar sobre eleições. O candidato tucano já chegou a afirmar que abriria mão se Souto decidisse disputar, mas nada disse em relação aos outros. Apesar dos boatos, todos negam que Geddel teria sido definido, ainda mais após os passos recentes do prefeito ACM Neto. Fonte e Foto: Bahia Notícias

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!