Labels

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Horas extras na Câmara custam R$ 60 milhões e batem recorde

Sem o ponto eletrônico que já deveria estar em funcionamento desde abril último, conforme prometeu o presidente da Câmara Federal, deputado Henrique Alves (PMDB-RN), a Casa esta prestes há encerrar o ano com despesas recordes de horas extras dos seus servidores efetivos e comissionados de gabinetes de parlamentares. De acordo com reportagem do jornal Correio Braziliense, até outubro, já foram desembolsados R$ 60,6 milhões, 36% mais que em todo o ano de 2012. Pelo ritmo, deverá fechar o ano em pelo menos R$ 70 milhões, batendo o então recorde registrado em 2011, de R$ 69,4 milhões, pois novembro e parte de dezembro terão muitas sessões deliberativas, já que há muitas matérias pendentes e polêmicas, como a votação do Orçamento de 2014. Apesar do custeio alto, o ponto eletrônico não tem previsão der implantado, apesar de ter sido prometido pelo dirigente peemedebista. Com a polêmica do corte dos salários que ultrapassam o teto constitucional, funcionários pressionam para adiar o aperto na jornada diária para compensar com o recebimento de horas extras, que não entram no cálculo do teto. Atualmente existem aproximadamente dois mil servidores que têm salários acima do limite de R$ 28 mil, que passaram a embolsar menos a partir deste mês, por decisão do Tribunal de Contas da União (TCU). Os servidores que trabalham mais de oito horas diárias, com intervalo para o almoço, ou seis horas corridas, têm direito a receber pelo serviço extraordinário realizado. Fonte: Bahia Notícias

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!