Labels

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Feliz 25 Anos Banzaê: Nossos primeiros passos

  Foto da Antiga Praça Nossa Senhora da Conceição na Sede (1989)
 
 Hoje 24 de Fevereiro de 2014, 25 Anos de Emancipação Política
Bodas de Prata 
 
SEGUNDO A HISTÓRIA: Banzaê (Sede) começou a ser povoada por volta de 1910. O pequeno vilarejo Banzaê, originado de viajantes e mercadores que saíam do estado de Sergipe com destinos as cidades do sertão baiano acabavam descansando-se a beira de uma árvore chamada Pau–Ferro, originando-se ali em 1910 uma feira por nome Feira do Pau abastecendo para abastecer com seus produtos os moradores das redondezas.
 
Os primeiros moradores o Srº Ricardo Ferreira um tropeiro mercador com seus familiares e o Srº Vicente Gouveia um escravo alforriado e um iraniano por nome Zé Banzaê que residia na Fazenda Lagoa de Dentro que fica a 2 Km de distância da Vila e decidiu morar naquela localidade e assim formando o pequeno vilarejo.
 
Nessa feira reuniram pessoas dos povoados de Tamburil, Mirandela, Buracos (Povoado São João da Fortaleza), Retiro, Ferinha (Povoado Campo do Brito) e fazendas da região para a comercialização de produtos, a famosa Feira do Pau foi relembrada na 1ª Edição do Projeto Sexta na Praça em 24 de Abril de 2009.
 
Essa árvore, era grande e velha, tinha galhos com pontas de pau que cresciam horizontalmente e onde se colocavam sacolas e mercadorias para o típico comércio.
 
Com o crescimento e maior movimentação da referida feira, o Sr. Ricardo Ferreira construiu a primeira Casa da Vila. Ele era casado e tinha um grande número de filhos entre eles: Inácia Ferreira e Enéia Ferreira.
 
Ao que parece, o dono da primeira Bodega que se tornou o primeiro morado do futuro Município, era um iraniano, então conhecido como “Zé Banzaê”, em seguida outras Bodegas foram construídas como, a do Sr. Arnaldo e do Sr. Vicente Gouveia. A primeira Padaria foi construída por Ana Dona Rita Alves de Oliveira.
 
Por volta de 1918 a 1920, foi construída uma Capela pelos próprios moradores dedicada a Nossa Senhora da Conceição, padroeira oficial do município, e contrataram um escultor de santo da região, chamado Manoel Cinema, para esculpir em madeira uma belíssima imagem da santa.
 
O primeiro padre a frequentar a Capela foi o Padre Isidoro, homem conservador e rígido, que celebrava as missas para a população em estilo de língua latim. Ele não permitia que as mulheres participassem das missas com roupas curtas, elas tinham que estar trajadas com respeito e tinham que usar véu sobre as cabeças, os homens tinham que estar vestidos de paletó e gravata para poder pegar no andor de Nossa Senhora da Conceição, e ao entrar na Capela tinham que retirar o chapéu da cabeça para reverenciar o altar e a imagem.
 
Outro morador ilustre da pequena Vila, foi o senhor Pedro Militão Teixeira que nasceu na Fazenda Retiro e veio morar na Vila com sua esposa Alice Dantas, chegando a Vila de Banzaê ele montou uma Bodega e uma Padaria, ele era um homem muito inteligente, sabia ler muito bem e com isso ganhou a confiança do povo na época, por ter sua residência na frente da Igreja ele passou a dirigir a religiosidade da Vila e passou a presidir as Novenas e as rezas na Quaresma.
 
Foi Pedro Militão que uniu a comunidade e construiu o Cemitério local no ano de 1940 (ainda existente) e o primeiro a ser sepultado foi um jovem conhecido por Dodô, mas seu nome era Virgulino de Abedias.
 
Pedro Militão foi responsável também pela construção de uma Capela no próprio Cemitério onde festejava o Dia de São Pedro e São Miguel, com a Capela deu inicio os Festejos de São Pedro que é realizado na Sede do município até os dias atuais com nome de Arraiá do Banza desde 1997, em 1989 a festa foi chamada de MICARAPEDRO, onde o forró tradicional animou a galera presente na festa com Trio Valneijós.
 
Como grande representante do lugar na época, Pedro Militão, recebia em sua residência e hospedavam os políticos, os padre e as autoridades da época.
 
As referências desta publicação foi encontrada na Secretaria Municipal de Educação e retirada no livro Fragmentos de fé e vida do povo de Tamburil, livro escrito e lançado pelo vereador José Vanderlei Chaves Bitencourt em 19 de Janeiro de 2011, a foto é do Acervo da Câmara Municipal de Vereadores.
 
Pesquisado por Bruno Matos Cezar e publicado no Blog BANZAÊ - LUGAR BOM DE SE VIVER, o portal que conta um pouco da história de nossa terra.

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!