Labels

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Jailma puxa a orelha de Almirinho


Ao usar a tribuna da Câmara Municipal de Quijingue na sessão ordinária de terça-feira, 25 de março, o vereador João Batista (PT) deu detalhes do acontecido na reunião que ocorreu na segunda-feira, 24 de março, em Ribeira do Pombal envolvendo os vereadores da base aliada do governo municipal, o prefeito de Quijingue, Almiro Costa Filho, e a assessora de Rui Costa, Jailma Dantas, a qual tinha a missão de fazer a mediação entre vereadores e prefeito.
 
Inicialmente, João Batista disse que a situação da administração municipal está insustentável, o que se faz necessário falar para o povo o que está acontecendo. “Fomos pra lá discutir... (...), antes de tomar uma decisão meio que pesada”, alertou. “Nada pode ser secreto”, acrescentou.
 
Pastor João, como carinhosamente é chamado, disse que, na reunião, questionou o prefeito Almirinho sobre as acusações que pesam contra a sua administração. Entre elas, a de ter superfaturado os valores das pinturas das escolas municipais. “Na reunião eu coloquei: agora é com você Almirinho. [Almirinho respondeu] pode falar pastor”. Batista queria ouvir do prefeito uma explicação sobre essa acusação e alertou que o Ministério Público já estava investigando o caso. “O Ministério Público já está caindo de pau”, advertiu ao prefeito. Almirinho não teria dado explicações, apenas respondeu que aguardava a conclusão das investigações da justiça. “E ele falou para mim: ‘vamos esperar a justiça’”.
 
João Batista disse ainda que questionou e criticou a respeito da intromissão do Sr. Mirando e de Osvaldo na administração de Quijingue. “Colocou-se também sobre o Miranda, que vem de Salvador, e o titio Osvaldo. Aí apertamos a Jailma”. Ao colocar isso, a mediadora da reunião, Jailma Dantas, teria dado um “puxão de orelha” no prefeito Almiro Costa Filho. “Ela olhou para o Almirinho e disse: ‘você tem que assumir sua posição! Nem Miranda, nem Osvaldo!... O administrador do município é o prefeito! Toma posição rapaz!”, detalhou. O vereador falou ainda que tudo isso mostra que os vereadores não foram a Salvador a passeio, mas sim, tentar resolver problemas da administração de Quijingue. “Ninguém foi passear não. O pau comeu, e comeu feio”.
 
Batista disse que agora resta saber se o prefeito Almirinho está disposto a atender as proposições dos vereadores e colocá-las em prática imediatamente. “Mas, senão acontecer... Nós queremos coisas concretas... Ação e ação. Chega de blá blá blá”, cobrou. Do site www.folhadavila.com.br

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!