Labels

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Especial Copa "Paixão de um Povo"



Depois de 12 anos a Copa do Mundo voltaria a ser disputada na América do Sul, dessa no Chile. O formato de disputa foi o mesmo da Copa do Mundo anterior: Fase preliminar com 4 grupos de 4 seleções, com posteriores jogos eliminatórios diretos nas quartas de final e semifinais. O Brasil chegou como favorito e confirmou as expectativas com a conquista do Bi.

O grande craque húngaro Puskas, que havia disputado a Copa do Mundo de 1954 pela Hungria, defendeu a seleção espanhola. Posteriormente a FIFA tomou providencias para impedir que jogadores disputassem Copas do Mundo por países diferentes, veja como foi:
 O Bi foi em solo Sul-americano

Seleções participantes: 16 Argentina | Alemanha Ocidental | Brasil | Bulgária | Chile Colômbia | Espanha | Hungria | Itália | Inglaterra | Iugoslávia México | Suíça | Tchecoslováquia | URSS | Uruguai

Seleções estreantes: 2 Seleções estrearam neste Copa (13%) - Bulgária representando a Europa e Colômbia representando a América do Sul.

Curiosidades

Eliminatórias: 56 seleções Classificados automaticamente: Brasil (último campeão) e Chile (país sede) Sede: Chile Campeão: Brasil - 2º título Jogos: 32 Gols: 89 Média de gols: 2,78
Público: 776.000
Média de público: 24.250
Artilheiro: Drazen Jerkovic (Iugoslávia) - 5 gols
Mauro, o 2° Capitão

O Brasil na Copa: Campeão
6 jogos | 5 vitórias e 1 empate | 14 gols a favor e 5 gols sofridos | saldo de gols +9
 Bi Campeão

Delegação Brasileira: Gilmar,Djalma Santos, Mauro, Zito, Zózimo, Nílton Santos, Garrincha, Didi, Coutinho, Pelé, Pepe, Jair Narinho, Bellini, Jurandir, Altair, Zequinha, Mengálvio, Jair da Costa, Vavá, Amarildo, Zagallo, Castilho, Técnico - Aymoré Moreira.
Garrincha, o melhor jogador da Copa

O Brasil na Copa do Mundo de 1962 compareceu com quase a mesma estrutura e equipe da Copa anterior na Suécia e sagrou-se bicampeã. Como campeã do mundo, a seleção brasileira não precisou disputar as eliminatórias. A campanha do Brasil para o bicampeonato no Chile foi: 2x0 México, 0x0 Tchecoslováquia e 2x1 Espanha na primeira fase; 3x1 Inglaterra nas quartas de final; 4x2 Chile nas semifinais; e 3x1 Tchecoslováquia na decisão.

Na Copa do Mundo de 1962 o Brasil perdeu Pelé, sua maior estrela, logo no segundo jogo quando ele se machucou contra a Tchecoslováquia. Apesar desta grande baixa, o Rei do Futebol foi substituído brilhantemente por Amarildo, que marcou logo 2 gols no seu jogo de estreia na vitória de 2x1 sobre a Espanha.

Outras Curiosidades

Antes de disputar a semifinal contra o Chile os brasileiros tomaram todas as providências de segurança, as quais incluíam preparar a própria comida com medo de sabotagem na alimentação do hotel. Coube ao dentista da equipe brasileira, Mário Trigo, comprar todos os ingredientes para preparar os sanduíches que alimentaram os brasileiros.

As Copas atravessaram as transformações políticas e culturais dos anos 60. O mundo vivia a divisão dos mega-blocos, Guerra Fria e do Vietnã, revoluções culturais, países latino-americanos sob a tutela dos regimes militares em nome da democracia.

No Chile em 1962, o Brasil conquistava o bi ao vencer os tcheco-eslovacos na final. A estrela de Pelé não brilhou, machucado no primeiro jogo, mas o Brasil contou com Didi, Djalma e Nilton Santos, Vavá, Zito e Garrincha, um dos artilheiros da competição e melhor jogador da Copa. Recusado por vários clubes até ser aceito e brilhar no Botafogo e na seleção. Com Garrincha, o time canarinho só perdeu uma vez em 60 jogos. Com Garrincha e Pelé, o Brasil não perdeu nenhum jogo. Em 1962, Garrincha, craque da Copa, foi absolvido de uma expulsão e participar da final.

Na próxima publicação do Especial Copa "Paixão de um Povo", vamos ficar por dentro da Copa do Mundo de 1966 na Inglaterra. Veja muito mais da Copa de 1966 AQUI 
 
Ficha de Jogos do Brasil

Primeira Fase:

Data: 30/maio/1962

Brasil 2 x 0 México

Local: Estádio Sausalito (Viña del Mar)
Árbitro: Gottfried Dienst (Suíça)
Gols: Zagalo 11, Pelé 27 do 2º tempo.
BRASIL: Gilmar; Djalma Santos, Mauro, Zózimo, Nílton Santos; Zito, Didi; Garrincha, Vavá, Pelé, Zagalo.
MÉXICO: Carbajal, Del Muro, Cárdenas, Sepúlveda, Villegas; Najera, Jasso; Del Aguilla, Reyes, Hernández, Diaz.
Data: 2/junho/1962

 Brasil 0 x 0 Tchecoslováquia

Local: Estádio Sausalito (Viña del Mar)
Árbitro: Pierre Schwinte (França)
BRASIL: Gilmar; Djalma Santos, Mauro, Zózimo, Nílton Santos; Zito, Didi; Garrincha, Vavá, Pelé, Zagalo.
TCHECOSLOVÁQUIA: Schroiff; Lala, Pluskal, Popluhar, Novak; Masopust, Scherer; Stibranyi, Kvasnak, Adamec, Jelinek.
Data: 6/junho/1962
 
Brasil 2 x 1 Espanha

Local: Estádio Sausalito (Viña del Mar)
Árbitro: Sérgio Bustamente (Chile)
Gols: Adelardo 35 do 1º tempo; Amarildo 27 e 40 do 2º.
BRASIL: Gilmar; Djalma Santos, Mauro, Zózimo, Nílton Santos; Zito, Didi; Garrincha, Vavá, Amarildo, Zagalo.
ESPANHA: Araquistain; Rodri, Etchevarria, Pachin, Gracia; Vérges, Peiró; Collar, Adelardo, Puskas, Gento.

Quartas de final:

Data: 10/junho/1962

Brasil 3 x 1 Inglaterra

Local: Estádio Sausalito (Viña del Mar)
Árbitro: Pierre Schwinte (França)
Gols: Garrincha 32, Hitchens 38 do 1º tempo; Vavá 8, Garrincha 14 do 2º.
BRASIL: Gilmar; Djalma Santos, Mauro, Zózimo, Nílton Santos; Zito, Didi; Garrincha, Vavá, Amarildo, Zagalo.
INGLATERRA: Springett; Armfield, Moore, Wilson, Flowers; Norman, Haynes; Douglas, Greaves, Hitchens, Bobby Charlton

Semifinal:

Data: 13/junho/1962

Brasil 4 x 2 Chile

Local: Estádio Nacional (Santiago)
Árbitro: Arturo Yamazaki (Peru)
Gols: Garrincha 9 e 32, Toro 41 do 1º tempo; Vavá 3, Leonel Sánchez (pen.) 16, Vavá 32 do 2º.
BRASIL: Gilmar; Djalma Santos, Mauro, Zózimo, Nílton Santos; Zito, Didi; Garrincha, Vavá, Amarildo, Zagalo.
CHILE: Escutti; Eyzaguirre, Contreras, Raul Sánchez, Rojas; Rodrigues, Tobar; Ramírez, Toro, Landa, Leonel Sánchez.

Final:

Data: 17/junho/1962

Brasil 3 x 1 Tchecoslováquia

Local: Estádio Nacional (Santiago)
Árbitro: Nicolai Latishev (URSS)
Gols: Masopust 15, Amarildo 16 do 1º tempo; Zito 24, Vavá 33 do 2º.
BRASIL: Gilmar; Djalma Santos, Mauro, Zózimo, Nílton Santos; Zito, Didi; Garrincha, Vavá, Amarildo, Zagalo.
TCHECOSLOVÁQUIA: Schroiff; Tichy, Pluskal, Popluhar, Novak; Masopust, Scherer; Pospichal, Kadraba, Kvasnak, Jelinek.

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!