Labels

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Conheça a história de Eduardo Campos

Presidente Nacional do PSB - Partido Socialista Brasileiro, ex. governador de Pernambuco e graduado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Eduardo Henrique Accioly Campos, era candidata a presidente nesta eleição e quando estava a caminho do litoral paulista para participar de um ato da campanha, acabou falecendo após um acidente aéreo em Santos na manhã de ontem (13 de Agosto) após a aeronave se chocar em diversas residências do Bairro Boqueirão, no mesmo acidente, faleceram os assessores Pedro Valadares Neto, Carlos Augusto Leal Filho (Percol), Alexandre Gomes e Silva , Marcelo Lyra, e os pilotos Marcos Martins e Geraldo Cunha.

Conheça a história de Campos:

Nascido no Recife, capital pernambucana, Eduardo Campos era filho do poeta e cronista Maximiano Campos (1941–98) com a ex-deputada federal e atual ministra do Tribunal de Contas da União Ana Arraes. Era neto de Miguel Arraes (1916–2005), ex-governador de Pernambuco, sendo considerado seu principal herdeiro político, além de sobrinho de Guel Arraes, cineasta e diretor da Rede Globo de Televisão.
 
Casado com a também economista e auditora do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco Renata Campos, com quem teve cinco filhos. Seu filho mais novo, Miguel, nascido no dia 28 de janeiro de 2014, foi diagnosticado com Síndrome de Down.

Campos começou na política ainda na universidade quando foi eleito presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia. Em 1986, Campos trocou a oportunidade de fazer um mestrado nos Estados Unidos pela participação na campanha que elegeu o avô Miguel Arraes como governador de Pernambuco. Com a eleição de Arraes, em 1987, passou a atuar como chefe de gabinete do governador. Neste período foi o responsável pela criação da primeira Secretaria de Ciência e Tecnologia do Nordeste e da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (FACEPE).
  
Campos se filiou ao PSB em 1990. No mesmo ano foi eleito deputado estadual e conquistou o Prêmio Leão do Norte concedido pela Assembleia Legislativa de Pernambuco aos parlamentares mais atuantes.

Em 1994, Campos foi eleito deputado federal com 133 mil votos. Pediu licença do cargo para integrar o governo de Miguel Arraes como secretário de Governo e secretário da Fazenda, entre 1995 e 1998. Neste último ano voltou a disputar um novo mandato de Deputado Federal e atingiu o número recorde de 173.657 mil votos, a maior votação no estado. 

Em 2002, pela terceira vez no Congresso Nacional, Eduardo Campos ganhou destaque e reconhecimento como articulador do governo Lula nas reformas da Previdência e Tributária. Por três anos consecutivos esteve na lista do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) entre os 100 parlamentares mais influentes do Congresso.

Em 2004, a convite do presidente Lula, Eduardo Campos assumiu o Ministério da Ciência e Tecnologia, tornando-se o mais jovem dos ministros nomeados. Em sua gestão, o MCT reelaborou o planejamento estratégico, revisou o programa espacial brasileiro e o programa nuclear, atualizando a atuação do órgão de modo a assegurar os interesses do país no contexto global. Ainda como ministro,  Campos também tomou iniciativas que repercutiram internacionalmente, como a articulação e aprovação do programa de biossegurança, que permite a utilização de células-tronco embrionárias para fins de pesquisa e de transgênicos. Também conseguiu unanimidade no Congresso para aprovar a Lei de Inovação Tecnológica, resultando no marco regulatório entre empresas, universidades e instituições de pesquisa. Outra ação importante à frente da pasta, foi a criação da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – considerada a maior olimpíada de Matemática do Mundo em número de participantes.

Após o falecimento do avó em 2005, Campos assumiu a presidência nacional do PSB e no ano de 2006 conseguiu a primeira vitória para governador de Pernambuco, seu estado de coração, na ocasião, ele recebeu o apoio do então presidente Lula no 1º Turno, quando Lula também apoiava o hoje senador Humberto Costa (PT), com a ida para o segundo turno contra Mendonça Filho (antigo PFL) que era candidato do hoje senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), Campos recebeu o apoio por completo de Lula, do PT e de todos os partidos de esquerda no estado.

Com o governo bem avaliado e a popularidade em alta, Eduardo Campos concorreu à reeleição em 2010. Assim como em 2007, contou com o apoio do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Campos foi reeleito, desta vez como o governador mais bem votado do Brasil: mais de 80% dos votos válidos no primeiro turno, derrotando o senador Jarbas Vasconcelos.

Candidatura à Presidência e Campanha 
 
Setembro de 2013 PSB entrega os cargos que o partido ocupava no governo federal e planeja lançar candidatura própria.
 
Outubro de 2013 Alia-se à ex-senadora Marina Silva na disputa presidencial.

Abril de 2014
Renuncia ao governo de Pernambuco para se dedicar à campanha presidencial.

Junho de 2014
Em aliança com outros 5 partidos, o PSB oficializa a candidatura de Campos à Presidência e de Marina Silva à vice-presidência.
 
Agosto de 2014 Desponta em 3º lugar na corrida presidencial segundo o Ibope, com 9% das intenções de voto. No dia 12 é entrevistado em rede nacional no Jornal Nacional da Rede Globo.

13 de agosto de 2014
Morre em acidente de avião em Santos.

Com informações do Wikipédia (Google) e Foto do Portal G1
 

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!