Labels

segunda-feira, 18 de maio de 2015

A crise no HGST segundo o médico Dr. Ricardo Cardoso



À Ribeira do Pombal e região (17/05/15). Caros pombalenses, Venho a público trazer alguns esclarecimentos sobre o Hospital Geral Santa Tereza (HGST) e sobre algumas notícias que vem sendo veiculadas em redes sociais e rádios, e que vem trazendo desconforto a população. Há 15 anos, em 2000, passei a integrar o corpo clínico deste hospital, naquela época administrado pela prefeitura, e desde 2005 o HGST vem sendo gerido pela Fundação José Silveira (FJS). 

Nós, médicos do HGST estamos vivendo um momento difícil devido ao atraso do pagamento dos nossos salários. A FJS é uma instituição filantrópica séria, regida por administradores competentes. A FJS administra diversas unidades de saúde em Salvador e na Bahia. A FJS cumpre um honroso papel social na Bahia, promovendo a saúde da população com ações diversas como campanhas contra o câncer de mama, o câncer de próstata, etc. 

Há poucos dias houve uma nova campanha pública em Salvador contra a hipertensão. Reconheço e aplaudo os inúmeros e inestimáveis méritos da FJS como provedora da saúde na Bahia. Mas, como qualquer grande instituição, a FJS passa por fases da maior ou menor dificuldade, e atualmente enfrenta uma profunda crise financeira que está se repercutindo em diversas unidades, inclusive no HGST. 

Em reunião recente ocorrida em 09 de abril/15 um dos seus gestores mais importantes (Dr Silvio) veio de Salvador trazendo uma nova proposta de acordo, e a proposta foi aceita. A nossa data de pagamento é sempre no dia 25 do mês seguinte. Na data da reunião havíamos recebido apenas o mês de janeiro, estávamos com o mês de fevereiro em atraso desde 25/03. Com o acordo, aceitamos receber o salário de fevereiro em duas partes, nas datas 17/04 e 17/05, tendo sido garantido o pagamento de março até 30/04. A 1ª parcela de fevereiro foi paga, e o pagamento de março está atrasado há 17 dias com relação a data estabelecida. Há a promessa desse pagamento sair nesta semana que entra. A 2ª parcela de fevereiro vence hoje, domingo. Sendo assim, se não for paga também nessa semana, estaremos com um novo atraso. Mas, a despeito de mensagens ANÔNIMAS indevidamente tituladas ou assinadas como "corpo clínico", declaro aqui ser FALSA a afirmativa de que o hospital sofra qualquer ameaça de paralisação de suas atividades, NÃO estamos com o salário de abril atrasado, NÃO há nenhum consenso entre o corpo clínico sobre entrarmos em greve. No HGST somos aproximadamente 30 médicos plantonistas. 

Qualquer médico pode optar por desistir de trabalhar neste ou em qualquer unidade, pois temos livre arbítrio. Naquela mesma reunião fui eleito por meus colegas o novo coordenador médico do HGST, aceitei o cargo, me comprometi com a FJS, e na condição de coordenador GARANTO A TODA A POPULAÇÃO QUE O HOSPITAL NÃO IRÁ PARAR SUAS ATIVIDADES. Alerto a população para as possíveis mensagens ANÔNIMAS lançadas em redes sociais. Essas mensagens vem sendo produzidas por uma pequena minoria de profissionais, numa atitude anti-ética que compromete a grande maioria dos plantonistas do HGST que não tem nenhum interesse em fazer greve ou em abandonar a unidade. Falta de material ocorre por falhas em transporte, não significa necessariamente que o material não exista. Há poucos dias houve falha no TRANSPORTE de gases e compressas cirúrgicas, mas a situação foi prontamente regularizada. 

Quero agradecer a credibilidade dos meus colegas que me elegeram coordenador, agradeço demais ao povo de Pombal que numa pesquisa de rádio também me colocou em 1º lugar para assumir esse cargo, com Dr. Oscar Neiva em 2º e Dr. Jorge Cruz em 3º, agradeço por todo o apoio que venho recebendo dos meus colegas, Dr. Ronaldo Andrade, Dr. Marionaldo, Dr. Oscar, Dr. Jorge Tadeu Cruz, Dr. Kléber, Dr. Ronaldo Toledo, Dr. Luís, Dr. Celso, Dra. Avani, Dra. Ana Cristina, dentre outros... que de diversas formas vem me incentivando a exercer este cargo. Agradeço a credibilidade depositada em mim pela superintendência da FJS, em especial a Dr. Sílvio e aos administradores Allan Tedesco e Dea Márcia. Agradeço a Deus por estar neste cargo que vem exigindo de mim profundo empenho e dedicação ao HGST, pois venho cobrindo escalas, tive que assumir toda a enfermaria de clínica médica entregue de surpresa pelo anterior responsável, e nesta última sexta feira, diante do anúncio de evasão dos plantonistas de clínica médica e pediatria do sábado e domingo, tranquilizei a FJS e o HGST declarando que ENQUANTO EU FOR COORDENADOR NÃO EXISTE CHANCE DE PARALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DO HOSPITAL. NENHUM CIDADÃO DEIXARÁ DE SER ATENDIDO. 

Estou há 15 anos trabalhando nesta cidade, e é a 1ª vez que venho a público. Não ando em redes sociais fazendo auto-propaganda, nem me auto-vangloriando pelas vidas por que batalho. Tranquilizo a população mais uma vez. Sei que FJS honrará seu compromisso conosco, e aproveito para avisar que o contrato com o Estado estará em breve renovado, e que a licitação prevista para esse ano foi cancelada. Há pessoas interessadas na saída do FJS, mas a essas pessoas lamento informar que ainda não será dessa vez. Grato pela atenção, grato a Deus. Ricardo Cardoso Peixoto. CRM 14.250, Clínico Geral, Coordenador Médico do HGST/FJS. Postagem na pagina pessoal do Facebook.

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!