Labels

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Em nota médicos e funcionários rebatem críticas feitas pela prefeita Jailma contra o HGST


As declarações feitas na última segunda-feira, 19, pela prefeita eleita de Banzaê, Jailma Dantas, em entrevista concedida à Rádio Pombal FM, logo após a sua diplomação, tecendo críticas ao atendimento prestado no Hospital Geral Santa, repercutiram negativamente perante o corpo clínico, enfermeiros, técnicos e demais funcionários da unidade hospitalar, levando os mesmos a emitirem a seguinte nota:
EM BANZAÊ TEM!

Carta aberta a população dos municípios integrantes da microrregião de saúde de Ribeira de Pombal – Bahia
C/C: Sindimed-BA; Governador do Estado da Bahia; Imprensa; COREN-BA; CREMEB e CREFITO.
Resposta à entrevista realizada pela Rádio Pombal FM com a Prefeita eleita de Banzâe, Jailma Dantas
Os médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos e todos os demais funcionários do Hospital Geral Santa Tereza vêm a público repudiar com veemência a fala da Prefeita eleita de Banzâe concedida à radio pombal FM de Ribeira do Pombal.
Na entrevista a Senhora Prefeita eleita afirma que o HGST tem funcionado como um matadouro e que sequer pode haver confiança no que é usado dentro da unidade de saúde.
Chama atenção de todos que ouviram a entrevista e principalmente dos funcionários que trabalham no Hospital Geral Santa Tereza que subscrevem esta nota, o fato da crítica partir de uma senhora que foi eleita para seu terceiro mandato à frente da prefeitura municipal de Banzâe, cidade essa que sequer possui um médico plantonista em sua precária unidade de saúde e nunca possuiu nas outras gestões da ilustre prefeita eleita, Jailma Dantas.
A digníssima prefeita com sua insensata e infeliz citação, ofendeu a honra e a dignidade de todos os funcionários que trabalham nesta unidade, que com todas as dificuldades ainda é a maior e melhor instituição de saúde da região. Quando a Senhora Jailma Dantas trata o HGST como matadouro, ela automaticamente coloca todos nós, funcionários, como assassinos. Isso mesmo. Entendemos dessa forma a infeliz colocação dessa Senhora. Na linguagem popular, a distinta prefeita eleita acaba dando um tiro no seu próprio pé, já que o tempo todo a mesma se vangloria de ter sido assessora pessoal do governador do Estado da Bahia, mas, no entanto, nunca trouxe uma única melhoria para o HGST. Incontáveis vezes recebemos visitas o secretário de saúde do estado e ouvimos diversas promessas referentes a melhoria da infraestrutura do hospital, porem nunca recebemos nada de concreto, só palavras jogadas ao vento. A ilustre prefeita eleita e ex-assessora pessoal do governador nunca interveio pelo HGST trazendo conquistas reais e tão pouco conseguiu, com seu capital político levar qualquer tipo de benefício a unidade de saúde do município no qual foi escolhida para ser prefeita, já que, repetimos, nunca houve sequer um médico plantonista em sua cidade enquanto a mesma esteve à frente do executivo municipal. Dessa forma nos resta perguntar porque o município de Banzâe sequer tem um hospital com medico plantonista e a Senhora Jailma Dantas sempre deixou que seus governados fossem direcionados ao dito matadouro HGST? Salientamos que muito nos espanta que a distinta futura chefe do executivo venha tecer críticas tão pesadas e infundadas acerca do atendimento prestado no HGST, haja vista que o seu município é o maior beneficiado pela unidade criticada, já que a mesma e porta aberta para o povo de Banzâe sem sequer ser necessária regulação médica. Isso mesmo, uma simples dor de cabeça necessita ser levada de Banzâe para ribeira do pombal para ser atendido no HGST, pois não há médico de plantão naquela distinta cidade. Dessa forma, um hospital que foi concebido para ser referência em média complexidade para a região nordeste da Bahia se encontra sobrecarregado atendendo patologias de menor complexidade de diversos municípios, incluindo a cidade de Banzâe. Nesta nota, convocamos ainda os prefeitos eleitos das demais cidades que fazem parte da microrregião para questionar o fato terem que custear com recursos escassos e insuficientes em seus municípios, sendo que cidades como Banzâe não tem que fazer o mesmo e acabam escorados na emergência do HGST para tratar doenças simples e sem gravidade. Incoerência da prefeita eleita Jailma Dantas e injustiça com os demais municípios.
Prefeita, sua fala foi infeliz, infundada e no mínimo deveria haver uma retratação pública de sua parte. Lembre-se, médicos estão com salários atrasados desde setembro e os demais funcionários também enfrentam atrasos de seus honorários, tudo por conta do atraso do repasse do ilustre governador da Bahia, seu ex-assessorado como a senhora não se cansa de dizer. Não sejamos hipócritas. Enfrentamos problemas e todos tem sua parcela de culpa, nós, talvez por nossa omissão em cobrar com mais veemência e vocês políticos por não usarem o capital político de vocês para cobrar melhorias e a regularização do repasse do estado para com a fundação José Silveira, gestora do HGST. Mãos à obra, prefeita eleita. Já que em sua entrevista se mostrou tão disposta a lutar e até sair em acampamento, saia, acampe em frente ao palácio de ondina e cobre nossos direitos, ao invés de denegrir uma das únicas instituições de saúde da região que ainda funciona.
Sendo assim, pedimos encarecidamente que a distinta senhora, ao invés de perder seu tempo se vangloriando de seu capital político para denegrir a honra e a dignidade do HGST e seus funcionários, busque melhorias pra saúde da região, inclusive fazendo se cumprir a promessa do nosso ilustre governador em aumentar o aporte financeiro a instituição e transformar o hospital em um verdadeiro polo de saúde para a região nordeste da Bahia.
Sem mais,
Funcionários do HGST

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!