Labels

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Agressão aos cofres públicos?

SUPERMERCADO VITÓRIO

Se a saúde está doente: É a crise. Se a Educação está ruim? É a crise. Se a Segurança está insegura: É por causa da crise; As festas já não tem tantos foliões, os comerciantes reclamam? Também é a tal da crise.


Crise é a palavra mais usada nos setores políticos e econômicos do País. O Brasil está passando por um momento nunca visto em sua historia. Nem quando o Barão de Mauá pediu dinheiro emprestado a Inglaterra para a construção da primeira ferrovia ou Getúlio para a construção da Chesf.

O Rio de Janeiro esteve no ápice da crise. Precisou até pedir empréstimo à sua capital - caso um tanto raro, normalmente falando.

O Governo Federal reclama dos gastos previdenciários com aposentados e pensionistas. Até já fez reformas para esticar a aposentadoria (que será alcançada por poucos) para evitar os rombos nos cofres públicos. Isso porque, segundo ele, a expectativa de vida do brasileiro está aumentando.

E por falar nisso, o que está gerando gastos exorbitantes em não nosso País, são outros além dos pensionistas: Deputados, senadores e ministros, presidente, governadores e seus vices, vereadores e alguns prefeitos e seus vices.

Para comprovar esse fato não é preciso ir muito longe. Vamos começar por:



Paulo Afonso, onde o prefeito, Luiz de Deus (PSD) elevou seu salário para 33 mil reais (superior ao do presidente da República - Michel Temer). O município tem 119.913 habitantes;



Salvador (população de 2.938.092) ACM Neto (DEM) aumentou seu salário para 24 mil; 



Feira de Santana (622.639 habitantes) em 2013 foi alvo das manchetes sobre aumento salarial do prefeito José Ronaldo (reeleito em 2016 pelo DEM), igualando a de presidente da república (mais de 28 mil), porém esse ano reduziu seu subsídio para R$ 20.O42,00. Vamos para mais perto e isso, sim, nos chama a atenção.



Ribeira do Pombal é um município com 54.773 habitantes e o prefeito aumentou seus subsídios para R$ 24 mil. O mesmo valor recebido pelo prefeito de Salvador. Lembrando que de outubro a dezembro de 2016 - período que ocorreu o aumento do seu subsídio - foram demitidos centenas servidores públicos (diretos ou terceirizados) para redução de gastos. E você acha que isso já é tudo? Que nada.



Vamos para Banzaê. O Município tem população de 13.738 habitantes, e sabe para quanto foi aumentado o salário da prefeita Jailma, aumento aprovado na gestão da ex-prefeita Patrícia, R$ 16.000,00. Mas a atual prefeita (Jailma - PT) anunciou em uma entrevista ao radialista Tony Santos (Pombal FM) que reduziria seus rendimentos em 10% (o que vai somar R$ 19.200,00 ao ano, caso seja por esse período, bem como da vice-prefeita e dos secretários.


Podemos falar em crise num país como o nosso, onde seus governantes choram de barriga cheia e o povo sofre a dor da barriga vazia enquanto eles se fartam?

A verdade é que poucos, ou quase nenhum, abriram mão do reajuste, e o povo o que fez diante disso que acontece em nosso País?


Em outras matérias será abordado sobre os salários do legislativo e dos municípios de Cícero Dantas, Cipó, Nova Soure e Tucano. Artigo do amigo Josivan Ribeiro do Blog Monte Nius

Os dados populacionais são estimativa do IBGE de 2016

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!