Labels

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Banzaê: Sessão da Câmara quase não concluída

SUPERMERCADO VITÓRIO

Mais uma vez assuntos polêmicos foram discutidos pelos edis da Câmara de Banzaê, e entre eles, os precatórios dos professores foi o mais.
Tudo transcorria bem. O vereador Zé Peixinho falou dos trabalhos bons que a prefeita vem executando, mas mencionou as péssimas condições que se encontra a estrada que ligam os povoados Salgado e Tamburil à sede do município, que está quase intransponível; mencionou também sobre as obras de calçamentos do Salgado, mas que o mérito da atual prefeita (Jailma), é simplesmente de executar, pois as obras ali realizadas foram projetos da ex-prefeita Patrícia. Sobre a saúde, reclamou de uma situação, segundo ele, onde o vereador Joãozinho estaria fazendo distinção de pessoas para serem transportadas na ambulância. Mas segundo o vereador citado (Joãozinho), isso não estaria ocorrendo, e o mesmo rebateu dizendo que ele é "contra o transporte de pessoas que não estejam em emergência, feito na ambulância".

Mais uma vez assuntos polêmicos foram discutidos pelos edis da Câmara de Banzaê, na segunda-feira, 28 de agosto 2017. Mas o assunto que mexeu com os ânimos dos edis e do público presente, nada mais, nada menos, do que os famosos precatórios, onde o mesmo se declarou estar do lado dos professores, e repudia ações de prefeitos que opõem a esse direito que deve ser da classe. Nesse quesito, todos os oradores se colocaram estar ao lado dos professores. 

Mas um que deixou  certa dúvida, no entendimento dos professores (e demais) participantes, foi o vereador Adriano da Queimada. Começou seu discurso dizendo que existem pessoas que tem jeito de criar desordens e discórdia (usando outros termos). Lembrou que em 2009 ele foi um dos maiores defensores dos professores ao criar o Plano de Cargos e Salários dos professores, ele juntamente com o então presidente do SISMUB (ex-vereador Junior), e disse que quando são favorecidas ás pessoas esquecem. 

Mas o fato mexeu com os ânimos quando ele disse que havia um dos edis que estava usando dos professores para criar desordens e discórdias, e em certo momento ele se dirigiu a galeria presente no tocante ao assunto dos precatórios. Mesmo dizendo que é a favor dos professores (talvez levado pela emoção do discurso e da manifestação da galeria), ele disse que "o dinheiro desse recurso deveria ser gasto no município". 

Outra situação que causou polêmica foi uma informação de que o Executivo queria interferir na Comissão instituída em assembleia pelos professores e Sindicato. Segundo opiniões, os membros do Legislativo (vereador Ramon da Queimada e vereador Fernandes) que lá estavam não tinham representação legal, pois não foi escolhido pelos edis, e para isso deveria ter votação. Mas segundo o Presidente não seria necessário isso, visto que no Regimento da Casa não consta essa informação. Mas diante da situação ficou sendo os mesmo escolhidos na Assembleia, também em comum acordo com os demais vereadores.

O vereador Ramon da Queimada disse ser uma falta de respeito isso que vêm fazendo aos professores, "pois em época de campanhas eleitorais todos sabem entrar em todas as casas, inclusive nas dos professores, e dizer que lutam pela educação e pelos professores, pois muitos até dizem saber o que ser professores, pois  estivera  em sala de aula também, mas que na prática é totalmente diferente". Ele disse ainda que ao invés de se preocuparem com a vida pessoal de Ramon", é melhor fiscalizar o município e ver quantas coisas erradas existem.

O vereador Fernandes, solicitou que retirasse da ordem do dia, a aprovação do projeto que cria o Conselho Municipal de Turismo (CONTUR), para a correção do texto onde coloca a Câmara como entidade Civil, e pede alteração para entidade pública; Sobre a "destituição" da Comissão, explicou que é isso que o Executivo pediu, e sim a alteração dos membros que são vereadores para que esses sejam legalmente escolhidos pelo Legislativo: o vereador Ramon e Fernandes.

O vereador Gilson, falou que em momento algum a prefeita se mostrou contra os professores no tocante aos precatórios, mas o que muitos precisam saber o que estão falando, pois eles sempre estão conversando com a prefeita sobre, e que outros assuntos mais relevantes no município já foram esquecidos por conta dos precatórios. Com informações do Blog Monte Nius


0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita!